heyeyeyeye


 

Phillip Long: A história de um folker no interior de São Paulo.                       

Em pouco tempo de carreira, vários discos e largo reconhecimento da mídia


Phillip Long é um cantor/compositor paulista influenciado pelo gênero Folk. Suas músicas falam de amor, frustrações, relacionamentos e outros aspectos pessoais de sua vida. Em 2011, Phillip lançou o seu primeiro álbum, Man on a Tightrope. O albúm foi considerado por vários sites especializados como uma das grandes revelações do cenário nacional. Em 2012, seu segundo álbum, Caiçara, conquistou ainda mais espaço na mídia e com o público. O disco consolida a parceria com o arranjador Eduardo Kusdra e conta com a participação de Albino Infantozzi (Fabio Jr, Raul Seixas, Fafá de Belém) na bateria.

A primeira música de trabalho, Nobody’s Happy, ganhou clipe exibido pelo programa Evidente do Canal Brasil, seguido pelo vídeo de Lion Heart, culminando na matéria que a Revista Billboard escreveu sobre o trabalho de Phillip Long na edição de abril/2012. Com a aprovação do público, o músico foi convidado a participar da coletânea Re-Trato, produzida pela Musicoteca em homenagem ao grupo Los Hermanos. Sua versão de Sentimental foi escolhida para integrar a trilha sonora do filme Eu Não Faço a Menor Ideia do Que tô Fazendo Com a Minha Vida do diretor Matheus Souza, além de ter sido eleita pela banda Los Hermanos como uma das melhores versões da coletânea. No elenco do filme estão Clarice Falcão, Gregório Duvivier, Alexandre Nero, Daniel Filho e Leandro Hassum.

No decorrer do ano de 2012, Long lançou 4 discos de inéditas: Caiçara, Dancing With Fire, Atlas e Sobre Estar Vivo (seu primeiro disco em português). MTV, Catraca Livre, Diário do Nordeste, O Tempo, RockinPress, Scream & Yell e MonkeyBuzz são outros veículos que destacam a música de Phillip Long. Ainda em 2012, ele alcançou a expressiva marca de mais de 85 mil downloads oficiais de seus 5 discos no site Musicoteca.

O álbum Atlas foi eleito como o 25º melhor disco lançado em 2012 segundo o site Melhores Da Música Brasileira, enquanto o álbum Caiçara foi pré-selecionado para 23º Prêmio da Música Brasileira junto com o Dancing With Fire.

Gratitude é sexto trabalho de Phillip Long, o sexto álbum de inéditas. Produzido e arranjado por Eduardo Kusdra, o disco aborda temas extremamente pessoais da vida do compositor. Lançado em junho de 2013, o disco conta com várias participações, como Scott Thunes (baixista do Frank Zappa e Steve Vai), o baterista Maguinho Alcântara (Lô Borges, Chico Buarque, George Benson, Chuck Berry, Gal Costa, Djavan), além de Laura Wrona e Phill Veras, apontados pela mídia especializada como revelações musicais de 2012.

Gratitude foi eleito o oitavo melhor disco de 2013 segundo o site Move That Jukebox, além de figurar entre os melhores discos em diversas outras listas.

Em dezembro de 2013 lança seu sétimo disco de inéditas, e o segundo disco no mesmo ano. Intitulado Seven o disco foi considerado por diversos veículos de imprensa como um dos trabalhos mais maduros de Phillip. Eleito pelo site Melhores Da Música Brasileira, como o 51º melhor disco de 2013 entre os 100 melhores.

O Brasil Post reuniu um total de 39 listas de melhores discos de 2013 em uma única grande lista, a lista das listas. Cada vez que um artista era mencionado valia um ponto. O disco intitulado Gratitude ficou em 52, a frente de grandes nomes da música brasileira.

Em 2014, Phillip lança seu oitavo disco de inéditas. Intitulado A Blue Waltz, o disco traz uma sonoridade que se relaciona com as bandas inglesas da década de 80. Eleito pelo site Jardim Elétrico como o quinto melhor disco do ano. A faixa “Tidal Wave” foi escolhida para fazer parte de uma compilação de novas descobertas da música mundial na Revista X-Music, a mais influente revista de Rock da China. Apenas quatro artistas estrangeiros foram escolhidos.

A Blue Waltz foi eleito pelo site Scream & Yell, o 34º melhor disco de 2014. Na lista oficial dos 100 melhores discos do ano, segundo o site Rock In Press, A Blue Waltz figura na décima quinta posição.

Em 2015, Phillip Long chega mais maduro como compositor em seu nono álbum de inéditas, ‘Zeitgeist’ (“espírito de época”, em alemão). Com produção de Eduardo Kusdra o disco mergulha em diferenças sociais e épocas, revelando a inspiração de seu título.

 

Em meio às raízes folk e a estética sonora oitentista inglesa, o disco procura explorar questões da sociedade moderna, a ridicularizarão contra o que é diferente, as guerras ideológicas, a segregação, a solidão, as diferentes formas de comunicação e suas consequências, a falta de amor e compaixão e o culto exagerado a imagem.

Com suas letras densas e melodias doces e saudosistas, Phillip cutuca poeticamente a sociedade conservadora, numa posição rara aos artistas independentes. Esta crítica social também se apresenta na arte gráfica de todo o trabalho, assinada por Jocê Rodrigues e Ebbios Lima, usando como referências os conceitos e histórias escritas por Bauman e Thoreau.

Em 2016, Phillip lança seu décimo disco de inéditas. Intitulado ‘Cat Days’ o álbum narra os dias que sucedem o término de uma relação. Com letras curtas e diretas, quase como mantras, Long busca encontrar alguma redenção. Cat Days, traduzido ao pé da letra é algo como Dias de Gato, dias em que as horas caminham de forma lenta, a gravidade funciona de forma diferente, e sente preguiça e sono, e vontade de criar raízes na cama. Dias em que buscamos desvendar o que somos, ou que nos tornamos, depois da estadia do outro dentro da gente. Cat Days é produzido e arranjado por Eduardo Kusdra.

DADOS GERAIS:

Mais de 300 mil downloads de todos os discos no site Musicoteca e no site oficial. Três dos oito discos lançados por Phillip no decorrer de sua carreira figuram entre os mais baixados da história do site Musicoteca.

Mais de 315 mil downloads da versão de “Sentimental” do Los Hermanos presente na coletânea Re-Trato, idealizada pela Musicoteca em homenagem aos 15 anos da banda. A versão foi eleita pela própria banda em uma matéria na Revista Billboard como uma das três melhores da coletânea.

Participação no Tributo Amor Maior em homenagem ao cantor e compositor Antonio Marcos, organizado em parceria pela Musicoteca e Aretha Marcos. Phillip fez a versão da canção You’ll Never Die, produzida e arranjada por Eduardo Kusdra. O disco já ultrapassou a marca de 9 mil downloads. Entre os cantores que participaram do tributo junto com Phillip, estão nomes como: Zeca Baleiro, Vanusa e Felipe Catto.

Participação na coletânea #Armazém73 organizada pelo site Rock In Press em homenagem ao disco de estréia dos Secos e Molhados. Phillip interpreta a faixa O Patrão Nosso De Cada Dia, produzida e arranjada por Eduardo Kusdra. A Coletânea teve destaque em diversos veículos de imprensa, como O Globo, Veja, Revista Trip e nos maiores jornais impressos do país.

Ingressos esgotados em seus três shows no SESC Vila Mariana.

Lotação no shows no Sesc São José dos Campos, São Carlos e Bauru.

Dois discos pré-selecionados para a 24ª edição do Prêmio Da Música Brasileira.

Participação no tributo em homenagem ao Alucinação de Belchior, intitulado Ainda Somos Os Mesmos. Tributo idealizado por Jorge Wagner e o site Scream & Yell. Phillip interpreta a faixa Como Nossos Pais. A versão foi eleita por diversos veículos de imprensa como uma das melhores do tributo.

Participação no tributo em homenagem ao disco de estréia da banda Oasis, intitulado Definitely Maybe. Organizado pelo fansite Oasis News e batizado de Live Forever, o tributo reuniu diversas bandas do mundo inteiro. Phillip participa do tributo com a versão de Live Forever. Produzida e arranjada por Phillip Long, Danilo Carandina e Enzo Petrucci, a versão foi apontada com uma das melhores pelo público e crítica especializada.

Participação no tributo Espelho Retrovisor, organizado por Anderson Fonseca e Marcelo Costa do site Scream & Yell, em homenagem a banda Engenheiros Do Hawaii. Phillip faz a versão de Terra de Gigantes, produzida e arranjada por Eduardo Kusdra, a versão foi considerada uma das melhores do tributo pelo público e pelo próprio Humberto Gessinger, que a compartilhou em suas redes sociais.

CRONOLOGIA

2011 – Man On A Tightrope 

2012 – Caiçara, Dancing With Fire, Atlas e Sobre Estar Vivo

2013 – Gratitude e Seven

2014 – A Blue Waltz

2015 – Zeitgeist

2016 – Cat Days

 
 

Clipe feito com imagens de domínio público encontradas no arquivo da Prelinger. A dancarina do vídeo foi uma atriz norte-americana chamada Sheree North, conhecida à época como a sucessora de Marilyn Monroe.
Fotografia: BERNARDO MOREIRA Dançarino: VITOR HAMAMOTO
Clipe dirigido por Eduardo Guerra e produzido pela Bonobo Produções.

EM BREVE NOVAS DATAS!

Shows e Entrevistas

philliplongfolk@gmail.com